Milícias neonazistas da Ucrânia se preparam para a guerra contra a Rússia

·2 min de leitura
Milícias neonazistas ucranianas têm realizado exercícios militares e estão comprometidas a lutar até a morte
Milícias neonazistas ucranianas têm realizado exercícios militares e estão comprometidas a lutar até a morte. (Foto: Polizia di Stato/Handout via REUTERS)

A sensível relação entre Rússia e Ucrânia ganhou um novo capítulo no início desta semana. Ao que tudo indica, a milícias neonazistas ucraniana está se preparando para a guerra.

Segundo o jornal americano "The Sun", o batalhão de extrema direita, Azov, tem realizado exercícios militares e está comprometido a lutar até a morte.

Além disso, o grupo publicou uma série de mensagens no aplicativo Telegram, que mostram detalhadamente diversos planos táticos do Corpo Nacional que está envolvido nos assuntos de guerra do país.

Algumas fotos publicadas no aplicativo durante a última semana também mostram membros da organização participando de cerimônias ultranacionalistas para marcar o Sia da Unidade Nacional da Ucrânia.

O país possui diversas organizações milicianas, que surgiram logo após a derrota do país na guerra e a anexação da Crimeia à Rússia em 2014.

No entanto, um dos fatores que mais chama a atenção é o fato do batalhão marchar em plena luz do dia exibindo símbolos nazistas e fascistas, além de praticar exercícios de tiro em campo aberto.

Até o ano passado, o grupo extremista possuía tratores improvisados que utilizavam como “veículos de combate" ao estilo MadMax, apelidados de Azovets.

Seguindo os princípios nazistas, o grupo afirmou que lutará até a morte de Putin invadir o território.

Vale ressaltar ainda que em meados de 2019, o jornal New Republic noticiou os "clubes de luta" criados pelo Azov, em que extremistas se envolviam em lutas improvisadas de MMA para "se prepararem para a guerra contra pessoas não brancas".

Na época, um bar na capital, Kiev, foi o local escolhido para a montagem de um octógono onde um dos principais fascistas do leste europeu, Denis Nikitin, presidiu as lutas.

Ao que tudo indica, milícias menores ligadas ao grupo estão preparando abrigos em cidades ucranianas, enquanto outra parte concentra esforços na "preparação para a luta".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos