Militante do Hamas é morto a tiros na Faixa de Gaza e grupo culpa Israel

Por Nidal al-Mughrabi

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA (Reuters) - Um militante sênior do Hamas foi morto a tiros nesta sexta-feira perto de sua casa na Faixa de Gaza, informou o grupo, culpando Israel pela morte.

Uma porta-voz do Exército de Israel se negou a comentar sobre o incidente no enclave costal palestino comandado pelo Hamas.

Mazen Fuqaha, um militante da Cisjordânia ocupada solto por Israel em uma troca de prisioneiros em 2011 e exilado na Faixa de Gaza, foi baleado diversas vezes, informou a polícia do Hamas.

Outra autoridade sênior do Hamas, Izzat El-Reshiq, disse que os assassinos usaram silenciadores.

Milhares de pessoas são esperadas para comparecer ao funeral de Fuqaha no sábado.

“Hamas e a sua ala militar culpam Israel e seus colaboradores como responsáveis por este crime desprezível... (Israel) sabe que o sangue de combatentes não é derramado em vão e o Hamas sabe como agir”, informou o grupo em comunicado.

Khalil al-Haya, vice-chefe do Hamas na Faixa de Gaza, disse que somente Israel poderia ter algo a ganhar com a morte.

Fuqaha, de 38 anos, foi um dos mais de mil prisioneiros palestinos que Israel libertou em troca do soldado Gilad Shalit, que militantes de Gaza mantiveram preso no enclave costal após sequestrá-lo em uma operação entre fronteiras em 2006.