Militares do Sudão reintegram primeiro-ministro após acordo

·1 min de leitura
Abdalla Hamdok, primeiro-ministro do Sudão

Por Khalid Abdelaziz

CARTUM (Reuters) - Os militares do Sudão reintegraram o primeiro-ministro Abdalla Hamdok neste domingo e anunciaram a libertação de todos os presos políticos após semanas de protestos mortais desencadeados por um golpe.

Sob um acordo assinado com o líder militar General Abdel Fattah al-Burhan, Hamdok vai liderar um governo civil de tecnocratas por um período de transição.

As forças de segurança dispararam gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes que se aproximavam do palácio presidencial antes do anúncio do acordo.

Pouco depois de o pacto ser assinado, alguns começaram a gritar que "Hamdok vendeu a revolução".

Hamdok disse que concordou com o acordo para impedir o derramamento de sangue.

"O sangue sudanês é precioso, vamos parar o derramamento de sangue e direcionar a energia da juventude para a construção e o desenvolvimento", disse ele.

Mas a coalizão civil que dividia o poder com os militares disse anteriormente que se opunha a qualquer negociação com os "golpistas" e pediu que os protestos continuassem neste domingo.

Vários dos comitês de resistência que vêm organizando protestos também emitiram declarações rejeitando qualquer acordo com os militares.

Hamdok foi colocado em prisão domiciliar quando os militares tomaram o poder, em 25 de outubro, atrapalhando uma transição para a democracia acordada após a derrubada de Omar al-Bashir em 2019, que encerrou suas três décadas de governo autocrático.

Os militares dissolveram o gabinete de Hamdok e detiveram vários civis que ocupavam cargos importantes no acordo de divisão de poder definido com os militares depois que Bashir foi deposto.

O golpe desencadeou manifestações em massa contra militares, e médicos alinhados com o movimento de protesto dizem que as forças de segurança já mataram 40 civis em repressões cada vez mais violentas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos