Mineira Cedro do Abaeté, 1.157 moradores, é a única cidade do Brasil sem Covid

KATNA BARAN
·2 minuto de leitura

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A pequena cidade de Cedro do Abaeté (MG), a cerca de 260 km de Belo Horizonte, conseguiu uma façanha: até esta sexta-feira (13), não registrou casos de Covid-19. Assim, entre os 5.570 municípios do Brasil, se tornou o único ao qual a pandemia ainda não chegou. Há exatos dois meses, as cidades-ilhas, livres de Covid, eram 16. Com população estimada pelo IBGE de 1.157 moradores e um pequeno centro que agrega igrejas, prefeitura e poucos comércios, não foi muito difícil para a cidade do centro-oeste de Minas Gerais obter o título, segundo o prefeito Luiz Antônio de Souza (DEM), candidato à reeleição. "Mas não foi só pelo tamanho, não. Acaba vindo muita gente visitar parentes, pais mais velhos, pessoas que moram aqui. Nós agimos bem na conscientização", afirma. O último boletim da secretaria de saúde do município é ainda do mês de setembro e aponta: dos 84 casos suspeitos de contaminação na cidade, todos foram testados e tiveram resultado negativo para Covid-19. O boletim estadual, porém, atesta nesta sexta que a cidade não tem casos confirmados, enquanto a penúltima cidade, Pedro Teixeira, passou a registrar um caso. Entre as ações citadas pelo prefeito estão uma barricada para controlar o acesso a Cedro do Abaeté. Ela já foi desmontada, mas, durante meses, questionou visitantes sobre o período de estadia no município e possíveis sintomas de contaminação. Quem chega de viagem também é obrigado a comunicar a secretaria de saúde e permanecer em casa em quarentena durante o período de incubação do vírus. Até hoje, uma bicicleta com caixa de som roda pela cidade para alertar quem passeia por comércios e serviços sobre as medidas preventivas contra o novo coronavírus. A rádio do município também colaborou com os alertas. Professores da rede municipal que não estão trabalhando também foram incumbidos de distribuir máscaras para todos os moradores. As aulas presenciais não foram retomadas, o que só deve ocorrer depois que a população for vacinada, segundo o prefeito. "O principal ainda é manter as portas [das escolas] fechadas e tentar que [a doença] não chegue até aqui. Foi nessa linha que atingimos esse status e não pretendendo mudar", diz. A agitação da eleição municipal no próximo domingo (15), no entanto, pode comprometer o status de Cedro do Abaeté sobre a Covid-19. A possibilidade não incomoda o prefeito, que diz que a população está ciente da necessidade de medidas de proteção contra a pandemia. "A população abraçou a causa, se conscientizou, segurou os filhos em casa, no comércio, todo mundo usa máscaras e toma as medidas de prevenção", avalia. Para manter a cidade longe da pandemia, ele também não descarta uma ajudinha extra das orações dos moradores, já que cerca de 85% deles são católicos.