Ministério da Infraestrutura enviou 79 suspeitas de irregularidades à PF em 2021

·1 min de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 14-12-2021: O ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas participa do evento, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 14-12-2021: O ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas participa do evento, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Infraestrutura, pasta chefiada por Tarcísio de Freitas, recebeu 228 denúncias de fraudes, casos de corrupção, enriquecimento ilícito de servidores e outras irregularidades no ano de 2021.

Os números são do Radar Anticorrupção, programa voltado a promover controles internos na pasta e em suas unidades vinculadas, como o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte).

Do total de casos informados à equipe responsável pelo monitoramento, 79 foram encaminhados à Polícia Federal, outros 96 seguiram para o Ministério Público e 22 para a Controladoria-Geral da União.

Das suspeitas enviadas à PF, duas deram origem a operações no órgão.

Em janeiro, a operação Gravame fez busca contra um servidor suspeito de corrupção, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito.

Em outubro, uma denúncia deu origem à deflagração da Freeware, que mirou fraudes em contratos de cerca de R$ 17 milhões da Companhia Docas do Rio de Janeiro.

Além das denúncias, o Radar Anticorrupção da pasta também realizou 506 análises de integridade para nomeações a cargos em comissão ou funções de confiança na pasta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos