Ministério da Saúde abre consulta pública sobre vacinação de bebês a partir de seis meses

O Ministério da Saúde abriu, nesta terça-feira, uma consulta pública sobre a vacinação de crianças de seis meses a quatro anos com o imunizante da Pfizer contra a Covid-19. As manifestações da sociedade civil podem ser enviadas à pasta pelo site da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) até o próximo dia 15.

Neurocientistas explicam: Por que algumas pessoas resistem melhor ao estresse do que outras?

'Bandeiras verdes': Os 5 sinais de um relacionamento saudável e que vale a pena viver

A abertura da consulta – assim como o ministério fez no final do ano passado em relação à vacinação entre 5 e 11 anos – acontece mesmo após o parecer favorável pela Conitec à aplicação na última semana. A Comissão é responsável por avaliar medicamentos e tratamentos a serem incluídos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Em setembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a autorização emergencial da vacina para bebês de 6 meses a 4 anos, aplicada no esquema de três doses e com formulação diferente daquela destinada às crianças maiores e aos adultos.

Carne com ouro: Metal precioso consumido pelos jogadores no Catar tem propriedades nutricionais? Entenda

Em outubro, a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização do Programa Nacional de Imunizações (CTAI), composta por técnicos do Ministério da Saúde e especialistas externos, também recomendou a vacina para a faixa etária. Ainda assim, na época, a pasta deu o aval apenas para indivíduos com comorbidades.

Agora, a consulta é referente à ampliação para todos, público que já é imunizado em países como Estados Unidos e Austrália. A submissão do debate para a opinião pública é alvo de críticas por especialistas, que apontam o caráter técnico da decisão e a maior demora em iniciar a vacinação com o processo.

Caso, após o fim da consulta, o ministério decida ampliar a imunização para todos os bebês, doses da vacina podem ser solicitadas por meio de um contrato ainda vigente entre o governo federal e a Pfizer.