Ministério da Saúde começa a distribuir doses de reforço para idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — O Ministério da Saúde iniciou o envio de 3,9 milhões de doses de reforço da vacina da Pfizer para idosos e profissionais de saúde. Desse total, 785 mil serão destinadas às pessoas a partir de 60 anos e 3,1 milhões aos trabalhadores.

A distribuição é feita de forma proporcional à população dos estados. Para receber o imunizante, os integrantes desse grupos devem ter tomado a segunda dose ou a vacina da Janssen, aplicada em dose única, há pelo menos seis meses. A decisão vale independentemente do imunizante que tenham recebido anteriormente.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga anunciou a terceira dose para médicos e enfermeiros, entre outros profissionais, na última sexta-feira. O cardiologista segue em Nova Iorque, nos Estados Unidos, onde faz quarentena após ser diagnosticado com Covid-19.

"O avanço da vacinação contra a covid-19 no Brasil já permitiu alcançar notáveis ganhos em saúde pública, reduzindo de maneira significativa a ocorrência de casos graves e óbitos pela covid-19. Nesse contexto, há de se reconsiderar as estratégias de vacinação em determinados grupos de maior exposição, visto que os trabalhadores de saúde foram os primeiros a se vacinarem e existe uma tendência a redução da efetividade das vacinas contra a covid-19 com o passar do tempo, notadamente a partir do sexto mês após o esquema vacinal primário completo, conforme demonstrado nos estudos científicos em referência, bem como por ser um grupo de maior exposição", diz a nota técnica.

A dose de reforço vale para profssionais de saúde que trabalham em hospitais, clínicas, ambulatórios, Unidades Básicas de Saúde (UBS), laboratórios, farmácias, drogarias e outros locais. Dessa forma, incluem-se agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, profissionais da vigilância em saúde e de apoio, como recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza e motoristas de ambulâncias, entre outros outros.

Já nos caso dos idosos, a medida foi anunciada no fim de agosto para idosos a partir de 70 anos e ampliada para os que têm mais de 60 na última terça. A pasta também autorizou a terceira dose para pessoas imunossuprimidas que tenham completado o ciclo de imunização há pelo menos 28 dias.

Essas decisões da pasta se basearam em orientações da Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (Cetai). Segundo apurou O GLOBO, a ampliação da terceira dose para profissionais de saúde já era avaliada desde agosto pelo grupo, formado por membros do ministério e de órgãos governamentais e não governamentais, entre outros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos