Ministério da Saúde cria atendimento psicológico por videochamadas para auxiliar profissionais da linha de frente

Paula Ferreira, Leandro Prazeres e Daniel Gullino
Pacientes com Covid 19 internados em UTI de hospital privado em SP. Foto: Edilson Dantas / Agencia O Globo

BRASÍLIA- O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira o programa "Telepsi" para prestar atendimento psicológico a profissionais de saúde que estejam na linha de frente do combate ao novo coronavírus. A partir de hoje, os trabalhadores podem buscar auxílio por meio de contato telefônico. Esses profissionais serão orientados por psicólogos e psiquiatras e serão atendidos em videochamadas de até 50 minutos de duração. A iniciativa custará R$ 2,3 milhões. Mais uma vez, o ministro interino, Eduardo Pazuello, não participou da coletiva de imprensa da pasta.

De acordo com o ministério, o auxílio não será restrito ao contato inicial e esses profissionais receberão acompanhamento. O número 0800 644 6543 receberá chamadas entre 8h e 20h e médicos, enfermeiros, entre outros, passarão por teleconsulta. A iniciativa é uma parceria do governo com universidades como a UFRGS , a Unifesp, USP, entre outras instituições. O atendimento aos profissionais que atuam na linha de frente também subsidiará um estudo científico sobre a saúde mental de trabalhadores que atuam no combate à pandemia. A expectativa é que 10 mil profissionais sejam atendidos pelo programa.

- Hoje temos que os profissionais de saúde são os mais vulneráveis a sintomas do ponto de vista psicológico e psiquiátrico. A proposta do ministério é que possamos atender a equipe que está lidando diretamente com os pacientes de Covid-19- afirmou Maria Dilma Alves Teodoro, diretora substituta do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do Ministério.

Caso seja identificado durante as consultas a necessidade de medicação, os profissionais de saúde serão encaminhados para a rede local para atendimento presencial.