Ministério da Saúde determina sindicância em Hospital de Bonsucesso e diz ter repassado quase R$ 2 bi para modernização da unidade

·1 minuto de leitura
Dia seguinte do incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso foi de retirada de pacientes
Dia seguinte do incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso foi de retirada de pacientes

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde informou, em nota, que determinou a abertura de sindicância para apurar as causas do incêndio no Hospital Federal de Bonsucesso, no Rio de Janeiro. A pasta diz ainda que realizou "diversas visitas aos hospitais federais do Rio de Janeiro, incluindo o de Bonsucesso", o que demonstraria "atenção contínua à manutenção da infraestrutura de todos os estabelecimentos". Ainda segundo o ministério, cerca de R$ 1,8 milhão de verba suplementar foi repassada ao hospital para modernização da unidade no ano passado.

— Cabe ressaltar que, por se tratar de uma construção predial de 70 anos, o complexo de Bonsucesso deve passar por uma modernização para atender a legislação atual, sendo que há projetos em andamento para realizar uma série de reformas. No ano passado, foram repassados R$ 1,8 milhão de verba suplementar para a modernização da unidade — apontou a pasta.

A nota diz ainda que a '"a Superintendência Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro avalia conceder férias aos servidores que já tenham o período vencido e remanejar os demais profissionais a outras unidades de saúde da rede federal.". Medida semelhante já foi anunciada pela direção do hospital atingido pelo incêndio.

— A prioridade, no momento, é garantir o atendimento em segurança da população, uma vez que as consultas e exames laboratoriais no complexo estão temporariamente suspensos. Para isso, a pasta disponibilizará toda a estrutura de saúde da rede federal do Rio de Janeiro, de forma que não haja prejuízo na assistência — afirma.

Na nota, o ministério afirmou ainda que "lamenta profundamente a morte dos três pacientes que estavam internados no HFB e se solidariza aos familiares e amigos das vítimas".