Ministério da Saúde diz que poderá comprar 10 milhões de doses de vacina russa contra Covid

NATÁLIA CANCIAN E RAQUEL LOPES
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.01.2021- Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.01.2021- Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (5) que poderá adquirir 10 milhões de doses da vacina Sputnik V importadas da Rússia por meio do laboratório União Química, que tem uma parceria para oferta do imunizante no Brasil.

A aquisição está condicionada a um aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso emergencial e caso o preço seja "competitivo", aponta.

A posição foi manifestada em reunião com representantes da empresa e o secretário-executivo do ministério, Elcio Franco.

"Iremos contratar e comprar as dez milhões de doses, se o preço for plausível, e efetuaremos o pagamento após a Anvisa dar a autorização para uso emergencial da 'Sputnik V', fazendo a disponibilização imediatamente aos brasileiros. E futuramente, a depender dos entendimentos que tivermos com a União Química, interessa-nos também adquirir a produção que a empresa vier a fazer no Brasil dessa vacina", disse o secretário, por meio de nota.

Segundo a pasta, o volume de doses se baseou em um documento apresentado pelo Instituto Gamaleya, onde a vacina é fabricada, e enviado ao ministério.

O cronograma encaminhado pelo instituto estima o envio 400 mil doses uma semana após assinatura do contrato de compra. Outros 2 milhões de doses estariam no Brasil um mês depois e mais 7,6 milhões nos dois meses seguintes, informa.