Ministério da Saúde diz que pode adquirir 10 milhões de doses de vacina russa

O Globo
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA— O Ministério da Saúde afirmou nesta sexta-feira que poderá comprar 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia. A declaração foi emitida em nota após reunião do secretário executivo da pasta, Élcio Franco, com representantes da União Química, nesta sexta-feira.

"Iremos contratar e comprar as dez milhões de doses, se o preço for plausível, e efetuaremos o pagamento após a Anvisa dar a autorização para uso emergencial da ‘Sputnik V’, fazendo a disponibilização imediatamente aos brasileiros. E futuramente, a depender dos entendimentos que tivermos com a União Química, interessa-nos também adquirir a produção que a empresa vier a fazer no Brasil dessa vacina” disse Franco.

Na reunião, Franco disse, no entanto, que a compra só ocorrerá se a vacina for aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na, a Anvisa retirou a obrigatoriedade de estudos clínicos de fase 3 no Brasil para solicitação de autorização emergencial de uso, o que na prática pode acelerar a aprovação da Sputnik V no Brasil. No mesmo dia, o Ministério da Saúde já havia divulgado nota informando a intenção de negociar 10 milhões de doses da Sputnik V.

De acordo com o Instituto Gamaleya, que produz a vacina na Rússia, há capacidade para enviar 400 mil doses ao Brasil uma semana após a assinatura do contrato. O laboratório garantiu ainda o envio de 2 milhões de doses um mês após assinatura e fornecimento de 7,6 milhões de doses no segundo e no terceiro mês.

Ainda segundo o instituto, as doses poderiam ser feitas também no Brasil em uma fábrica da União Química, no Distrito Federal.