Ministério da Saúde edita nota e retira tabela antivacina

·1 min de leitura

BRASÍLIA— O Ministério da Saúde editou nota técnica usada para embasar veto a protocolo contra o Kit Covid e retirou do texto a tabela que comparava vacina com hidroxicloroquina. O documento havia gerado reação na área científica por afirmar que vacinas não têm efetividade e segurança contra Covid-19, mas hidroxicloroquina, cuja ineficácia é comprovada, tem.

Uma nova versão da nota assinada pelo secretário olavista Hélio Angotti Neto na segunda-feira retirou a tabela que trazia a comparação entre as tecnologias. No item 4.17 que fala sobre "Assimetria no rigor científico dedicado a diferentes tecnologias", o secretário manteve, no entanto, menção ao requerimento que afirma coloca a vacina como uma tecnologia sem efetividade e segurança comprovadas, com alto custo e financiada pela indústria. O requerimento traz afirmações opostas no caso da hidroxicloroquina.

Como o GLOBO mostrou, o requerimento usado por Angotti em sua nota técnica teve origem na Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETS), chefiada por Mayra Pinheiro, conhecida como "capitã cloroquina". O documento foi enviado a Angotti por membros da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) que acabaram saindo derrotados na votação que aprovou protocolo que contraindica uso do Kit Covid em pacientes não internados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos