Ministério da Saúde monitora 7 mil eventos adversos pós-vacina

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O Ministério da Saúde recebeu, até o dia 4 de fevereiro, notificações de 7.768 eventos adversos supostamente associados as vacinas contra a Covid-19. Desses, 82 foram classificados como graves. O ministério não divulgou quantas pessoas haviam sido vacinadas na mesma data. Entretanto, um levantamento do consórcio de veículos de imprensa apontou que 3.043.108 pessoas já haviam recebido o imunizante até o dia 4.

Isso significa que os eventos adversos totais notificados ao Ministério da Saúde representam 0,2% dos vacinados, considerando os números do consórcio. Analisando especificamente os eventos graves, o número passa para 0,0002%.

Em nota, o Ministério da Saúde ressaltou que por enquanto há apenas uma relação temporal, e não de causa e efeito. "Até o momento, não se pode afirmar que essas notificações se tratam de eventos adversos pós-vacinação com comprovada associação causal, mas sim como eventos temporalmente associados à vacinação", diz o texto.

O consórcio de veículos é formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo. Os veículos também levantam os números de mortos e contaminados pela Covid-19.