Ministério da Saúde recomenda vacinar crianças de 3 a 5 anos com Coronavac

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde recomendou nesta sexta-feira (15) a vacinação contra a Covid-19 das crianças de 3 a 5 anos com a Coronavac. A pasta orientou estados e municípios a utilizarem as doses em estoque e afirmou que está negociando a compra de mais unidades.

"Tendo em vista a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, ouvida a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI), o Ministério da Saúde orienta os entes federativos a ampliar o uso da vacina Covid-19/Coronavac para faixa etária de 3 a 5 anos de idade", afirmou em nota.

"A pasta recomenda que seja utilizado os estoques existentes nos estados e municípios. No entanto, o Ministério da Saúde segue em tratativas para aquisição de novas doses. A decisão será formalizada em nota técnica aos estados, bem como o cronograma de entrega de doses adicionais."

O uso emergencial da vacina nessa faixa etária foi aprovado de forma unânime pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na quarta-feira (13), sem restrições.

O esquema vacinal indicado para a vacinação infantil é igual ao do restante da população: mesma dosagem e intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda dose.

A recomendação da CTAI sobre o uso da Coronavac na faixa etária de 3 a 5 anos já era esperada. Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a câmara técnica já tinha recomendado a vacinação de crianças com qualquer vacina aprovada pela Anvisa.

O presidente do departamento científico de imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, Renato Kfouri, afirma que o entendimento atual é de que essa é uma população de risco para a Covid-19. Kfouri é membro da CTAI e participou da reunião desta sexta.

"A vacinação está indicada e todos os esforços devem ser feitos para a aquisição das doses e a contabilização das que já existem nos estados. É preciso que se quantifique, até para eventualmente começar [a vacinação] por grupos: pelas crianças imunocomprometidas ou pelas mais velhas, de 4 anos."

Após a decisão da Anvisa, na quarta, o secretário de estado da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou à Folha de S.Paulo que o Butantan vai importar as doses da China. Segundo ele, a partir da encomenda das vacinas pelo Ministério da Saúde ao instituto, a estimativa de entrega no Brasil é de 45 dias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos