Ministério da Saúde vai negociar compra de 39 milhões de doses da Sputnik V com intermediação do governo baiano

Paula Ferreira
·2 minuto de leitura
A Palestinian healthcar worker displays a box of the Russian-made Sputnik V coronavirus vaccine provided by the United Arab Emirates, unloaded from a truck arriving from Egypt via the Rafah crossing in the southern Gaza Strip, on March 11, 2021. - Around 40,000 COVID-19 vaccine doses from the UAE arrived in Gaza, a delivery reportedly orchestrated by a rival of Palestinian president Mahmud Abbas. (Photo by SAID KHATIB / AFP) (Photo by SAID KHATIB/AFP via Getty Images)
Vacina Sputnik V é mostrada na Palestina (SAID KHATIB/AFP via Getty Images)

BRASÍLIA— O Ministério da Saúde vai negociar, na sexta-feira, a compra de pelo menos 39 milhões de doses da vacina Sputnik V com a intermediação do governo da Bahia. Nesta quinta-feira, o governador baiano, Rui Costa, participou de uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na qual ofereceu ao governo federal o quantitativo de vacinas negociado pelo estado inicialmente para atender ao nordeste.

Costa disse ao ministro que caso a pasta não assine o contrato com o Fundo Russo na própria sexta-feira para adquirir o quantitativo para o Plano Nacional de Imunização, a Bahia efetuará a compra das doses para o nordeste. Costa ofereceu as doses ao Ministério da Saúde após receber a sugestão de colegas durante uma reunião do Consórcio Nordeste.

Leia também:

— Concluimos agora a reunião com o ministro, ele disse que tem interesse, então solicitei que a gente fizesse reunião amanhã no primeiro horário para amarrar isso. Eu disse: ministro, estou com o contrato pronto para assinar amanhã. Nós tinhamos combinado 39 milhões para o nordeste, mas eventualmente podemos ver volume maior se for para o país inteiro. Ele disse que tem interesse e eu organizei amanhã para tentar marcar essa reunião no primeiro horário. Se o ministério adquirir para o país inteiro, ótimo. Se não, a Bahia assina amanhã o contrato com a Sputnik — afirmou o governador da Bahia, Rui Costa.

Segundo ele, o contrato precisa ser assinado nesta sexta-feira para garantir o cronograma de entrega das doses. A previsão é que haja entrega de 400 mil doses em março, 1,5 milhão em abril, 10 milhões em maio e o restante até julho.

— Eu disse ao ministro que só garante o cronograma se a gente fechar amanhã e portanto o prazo é amanhã, se o ministério não fechar amanhã, a Bahia vai fechar. E ele topou, então estou tentando organizar a reunião com os russos.