Ministério Público cria força-tarefa para investigar Prevent Senior

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 20.03.2020 - Fachada do hospital Sancta Maggiori, da Prevent Senior, na rua Maestro Cardin, no Paraíso (SP). (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 20.03.2020 - Fachada do hospital Sancta Maggiori, da Prevent Senior, na rua Maestro Cardin, no Paraíso (SP). (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nesta quinta-feira (23), a Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo designou quatro promotores para compor uma força-tarefa para o caso Prevent Sênior.

Em nota, o órgão afirma que os promotores Everton Zanella, Fernando Pereira, Nelson dos Santos Pereira Júnior e Neudival Mascarenhas Filho vão acompanhar um inquérito policial que tramita no DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) para apurar se a aplicação de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19 em pacientes que morreram se configura como crime de homícidio.

Além disso, a ideia é que a força-tarefa auxilie na investigação que será conduzida a partir de dossiê contra a operadora entregue à CPI da Covid. O anúncio quanto ao envio dos documentos ao Ministério Público foi realizado por Renan Calheiros, relator da CPI, na quarta-feira (22). A partir da análise desse material, a instituição poderá abrir investigação no âmbito criminal.

O MP já tem um inquérito civil instaurado pela Promotoria da Saúde contra a Prevent Senior para apurar se houve danos morais coletivos de responsabilidade do plano de saúde por pressionar seus médicos conveniados a entregarem o chamado "kit covid" de forma irregular aos pacientes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos