Ministério Público do DF quer saber quem da Polícia Militar disse que oficiais podem participar de atos

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO**BRASÍLIA, DF, 16.06.2020 - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO**BRASÍLIA, DF, 16.06.2020 - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público do Distrito Federal questionou o comando da Polícia Militar do DF para saber quem afirmou que policiais podem participar de manifestações desde que não envolvam o nome da corporação.

O pedido de informações foi encaminhado pelo promotor Flávio Milhomem após reportagem do site Congresso em Foco reproduzir nota recebida da PM do DF indicando que não punirá oficiais da ativa que participem dos atos de 7 de setembro em apoio a Jair Bolsonaro.

"Os policiais militares são cidadãos e ao exercerem a sua cidadania, podem se manifestar de maneira democrática, desde que não representem a Instituição", disse a nota reproduzida pelo veículo.

No pedido, Milhomem que saber a origem da reposta e quais as autoridades públicas militares responsáveis por ela. Ele deu o prazo de 72 horas para resposta.

Nesta segunda-feira (30), o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), disse que policiais militares da ativa que participarem das manifestações com pautas antidemocráticas do 7 de setembro serão punidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos