Ministério Público Eleitoral denuncia Marcelo Crivella e candidata à vice por caso 'Guardiões'

Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura

RIO — O Ministério Público Eleitoral denunciou nesta quarta-feira o prefeito do Rio Marcelo Crivella, a tenente coronel Andrea Firmo — candidata à vice em sua chapa, e o assessor especial do gabinete do prefeito Marcos Luciano pelo caso que ficou conhecido como "Guardiões do Crivella". O MPE acusa os três de abuso de poder político, conduta vedada e pede paraa condenação dos envolvidos por inelegibilidade por oito anos e o pagamento de multa.

"Conforme apurado, ao longo do ano de 2020, notadamente durante apandemia da Covid-19, servidores públicos municipais foram designados para ficarde prontidão nos hospitais públicos da rede municipal do Rio de Janeiro, com oobjetivo de impedir e dificultar a realização de matérias jornalísticas sobre a precáriasituação da saúde pública municipal." diz trecho da denúncia assinada pelo promotor Rogério Pacheco Alves.

Ao longo da denúncia o MPE afirma que Crivella "praticou a referida conduta vedada, na medida em que usou os serviços deservidores públicos do Executivo municipal em prol de sua candidatura, tanto deforma comissiva, quanto omissiva"

"As práticas ora apuradas possuíam o condão deimpedir ou prejudicar a produção de conteúdo jornalístico que visasse denunciar àpopulação em geral as falhas e carências do serviço público de saúde municipal, umdos temas mais importantes das eleições municipais.", diz outro trecho da denúncia.