Ministério Público faz nova operação contra empresas ligadas a Rogério Andrade e Ronnie Lessa

Promotores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumprem na manhã desta quarta-feira (11) a segunda parte da Operação Calígula, contra a rede de jogos do bicho que o contraventor Rogério de Andrade e o policial militar reformado Ronnie Lessa fazem parte. A promotoria está em 24 endereços com mandados de busca e apreensão no estado do Rio. Os agentes estão em 19 empresas ligadas aos denunciados que não foram alvos da operação desta terça.

Nesta quarta, o MPRJ cumpriu 14 mandados de prisão. Entre os presos, estão os delegados Marcos Cipriano e Adriana Belém. Na casa dela, os agentes apreenderam quase R$ 2 milhões em espécie.Os promotores afirmam que Andrade e Lessa abriram bingos clandestinos em diferentes estados e tinham a parcimônia de policiais civis e militares.

Foram denunciadas 30 pessoas pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Pelo menos dois bingos foram estourados pela força-tarefa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos