Ministério Público vê misoginia em campanha de Paes contra Martha Rocha

·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A procuradora regional eleitoral do Rio de Janeiro, Silvana Batini, classificou como misógino vídeo divulgado pela campanha de Eduardo Paes (DEM) contra a adversária Martha Rocha (PDT) na disputa pela Prefeitura do Rio de Janeiro. O parecer encaminhado ao TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) aborda trecho do vídeo que diz: "Delegado preso com mala cheia de dólares dos bicheiros namorava Martha Rocha na época". "A mensagem começa por denegrir a imagem da recorrente, não por conta da qualidade de sua gestão como chefe de polícia, deputada, ou mulher pública em geral, mas porque supostamente namorava um delegado corrupto. Para se entender o caráter abusivo da afirmação, é preciso estar consciente de que vivemos no Brasil, um ambiente de tolerância com a violência política de gênero, pela qual a mulher pública está sempre exposta e vulnerável no seu aspecto íntimo", escreveu Batini. O delegado que foi preso em 1994, além de ser à época namorado da candidata, também chefiava o gabinete dela numa diretoria da Polícia Civil. Ela não foi implicada criminalmente no caso. O TRE-RJ ainda vai julgar se retirar a peça do ar e concede direito de resposta –a candidata do PDT teve o pedido negado em primeira instância. A campanha de Paes não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos