Ministério da Defesa fez licitação para comprar R$ 37 mil em lubrificante íntimo

·2 min de leitura
Licitações para compra de lubrificante íntimo pela Defesa foram feitas em 2019 e 2020 (Foto: Getty Images)
Licitações para compra de lubrificante íntimo pela Defesa foram feitas em 2019 e 2020 (Foto: Getty Images)

Resumo da notícia

  • Entre 2019 e 2020, Defesa fez licitação para compra de R$ 37 mil em gel lubrificante íntimo

  • Não há confirmação se compra foi efetuada, mas pedidos não eram de unidades de saúde

  • Lubrificantes seriam destinados locais como o Centro de Aquisições Específicas da Aeronnáutica

O Ministério da Defesa fez uma licitação para realizar a compra de R$ 37 mil em gel lubrificante íntimo. As informações do Portal da Transparência foram reveladas pela revista Fórum.

A revista afirma que não é possível confirmar se as compras foram efetuadas ou se eram pretensões dos órgãos subordinados à Defesa.

A licitação chama atenção na esteira de outras compras feitas pelo Exército e pelo Ministério da Defesa, como a compra de botox, 35 mil comprimidos de Viagra e o investimento de R$ 3,5 milhões em próteses penianas infláveis.

As licitações foram feitas entre 2019 e 2020. É comum que o gel seja usado em procedimentos médicos, no entanto, a quantidade e a destinação do material chamam atenção: o lubrificante íntimo não teve como destino unidades de saúde ou hospitais militares.

Segundo a Fórum, 10 tubos foram solicitados pela 15ª Companhia de Infantaria Motorizada do Exército, na cidade de Guaíra, no Paraná. Já o Centro de Aquisições Específicas da Aeronáutica pediu mil unidades do gel, pelo valor de R$ 19.990.

Em Manaus, o Centro de Intendência da Marinha também comprou mil bisnagas do gel, mas por R$ 13.490.

Compra de próteses penianas

O deputado Elias Vaz (PSB-GO) e o senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) vão pedir que o Tribunal de Contas da União e o Mistério Público Federal abram uma investigação para apurar o motivo pelo qual o Exército comprou 60 próteses penianas infláveis pelo valor de R$ 3,5 milhões. A informação foi revelada pela coluna do jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Na última segunda-feira (11), Eliaz Vaz também pediu explicações com Ministério da Defesa também sobre a compra de 35 mil comprimidos de Viagra para as forças armadas.

Os dados da compra das próteses constam no Portal da Transparência e no Painel de Preços do governo federal. No ano passado, foram feitos três pregões eletrônicos para a compra de próteses penianas infláveis de silicone, que medem entre 10 e 25 centímetros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos