Ministério da Justiça sabe, mas omite: roubo no Paraguai foi obra do PCC

Claudio Tognolli

 

Cinco presos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), e que são apontados como líderes da rebelião que aconteceu na Penitenciária de Alcaçuz ocorrida no dia 14 de janeiro. Foto: PC/ ASSECOM

 

Bandidos fizeram um roubo cinematográfico nesta madrugada (24) na fronteira do Brasil com o Paraguai. O grupo invadiu a sede a transportadora de valores Prosegur em Ciudad del Este e fugiu para uma cidade vizinha levando cerca de US$ 40 milhões (o que equivale a cerca de R$ 120 milhões).

Até agora, o que se sabe é que, durante a operação, um policial foi morto e quatro pessoas ficaram feridas. Segundo o jornal paraguaio “ABC Color”, os criminosos utilizaram granadas, fuzis e outras armas de fogo para o assalto. Ao 15 veículos foram incendiados. Uma correspondente do jornal no local disse que há a suspeita de que um algum dos assaltantes seja brasileiro e ligado a uma organização criminosa. A polícia do Alto Paraná informou que está realizando buscas na região com apoio militar. A polícia do Brasil ainda não interveio na investigação.

A imprensa do Paraguai informou ainda que o fato se trataria do maior assalto da história do país.

Bem…

Este blog apurou que o Ministério da Justiça já sabe mas omite: o roubo foi comandado pelo PCC, o Primeiro Comando da Capital.

Vamos ver por quanto tempo essa informação vai ser omitida do público…