Ministério da Saúde exonera mais um diretor após denúncias na CPI da Covid

·2 minuto de leitura
Brasilia, Brazil - Aug 26, 2018: Ministry of Health Building - Brasilia, Distrito Federal, Brazil
Ex-servidores do Ministério da Saúde são investigados por supostos casos de corrupção na compra de vacinas (Foto: Getty Images)
  • Lauricio Monteiro Cruz, diretor de Imunização e Doenças Transmissíveis, foi exonerado do Ministério da Saúde.

  • Ex-servidor teria dado autorização para que reverendo negociasse vacinas com a Davati em nome da pasta

  • E-mails comprovam que Lauricio Monteiro Cruz teria dado aval para que Amilton Gomes de Paula fizesse negócios com a Davati por supostas vacinas da AstraZeneca

O governo federal exonerou mais um diretor do Ministério da Saúde. Desta vez, Lauricio Monteiro Cruz, responsável pela área de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde da pasta, foi retirado do posto.

A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira (8) e assinada por Luiz Eduardo Ramos, ministro chefe da Casa Civil.

Leia também:

A decisão foi tomada depois da denúncia de que Monteiro Cruz teria dado a autorização para que um referendo negociasse 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 em nome do governo federal com a Davati Medical Supply.

Em 23 de fevereiro, Lauricio Monteiro Cruz trocou e-mails com o reverendo Amilton Gomes de Paula, fundados da entidade Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários, conhecida como Senah. O conteúdo das mensagens foi revelado pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

Um dos e-mails enviado pelo agora ex-diretor tinha como assunto “lista de presença e carta de proposta para fornecimento”. No corpo do texto, Lauricio escreveu: “inicialmente agradecemos a disponibilidade da Senah, representada por sua pessoa (...) Na apresentação da proposta comercial para fornecimento de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca”.

Além disso, o ex-diretor afirma que “todos os processos de aquisição de vacinas no âmbito do Ministério da Saúde estão sendo direcionados pela Secretaria Executiva”.

Alguns dias depois, o reverendo Amilton Gomes de Paula publicou fotos em uma reunião no Ministério da Saúde. Entre os presentes, estava Lauricio Monteiro Cruz. “Senah faz reunião no ministério para articulação mundial em busca de vacinas e para a consecução de uma grande quantidade dos imunizantes a ser disponibilizada no Brasil”, escreveu o reverendo na foto.

No dia anterior, em 7 de julho, Roberto Dias havia sido exonerado oficialmente. O servidor era diretor de Logística do Ministério da Saúde e é acusado de ter cobrado propina pela negociação das supostas vacinas da Davati. No mesmo dia, ele depôs à CPI da Covid e recebeu voz de prisão por mentir aos senadores durante a sessão.

Nesta quinta-feira, a CPI da Covid ouve mais uma ex-servidora da pasta, Franciele Fantinato, ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos