Ministério da Saúde ignora China em anúncio de vacinas e gera nova crise diplomática

·2 minuto de leitura
Ministério da Saúde anuncia chegada de insumos para produção de 12 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca
Ministério da Saúde anuncia chegada de insumos para produção de 12 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca
  • O Ministério da Saúde omitiu a China ao divulgar a chegada de insumos para a produção de vacinas

  • No Twitter, a pasta escreveu que o IFA veio "do exterior", e o embaixador chinês reagiu com ironia

  • O ministro da Saúde e o Itamaraty tentaram consertar a crise diplomática na rede social

O Ministério da Saúde criou uma nova crise diplomática com a China ao anunciar a chegada de insumos para a produção de vacinas contra o coronavírus. No Twitter, a pasta divulgou o desembarque de lotes do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) para a produção de 12 milhões de doses, porém publicou que vieram "do exterior", ignorando que toda a carga veio do país asiático.

O embaixador chinês, Yang Wanming, reagiu com ironia à postagem do Ministério da Saúde e citou um dos mais importantes filósofos do país: "Confúcio disse: feito para amigos, fiel à sua palavra".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também

Perfis do governo federal tentaram "apagar o incêndio" provocado pelo Ministério da Saúde. Marcelo Queiroga, titular da pasta, respondeu à provocação do embaixador chinês: "Agradecemos sempre o apoio do senhor nesse momento de dificuldade sanitária. O Ministério da Saúde espera ter sempre a sua parceria para essa e futuras ações".

Wanming, que já elevou o tom ao rebater desaforos e mentiras do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a China, aceitou o pedido indireto de desculpas de Queiroga: "Estimado ministro, diante esse desafio sanitário, estamos unidos e comprometidos para vencer em conjunto a luta contra a Covid-19".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Ministério das Relações Exteriores compartilhou o tweet do Ministério da Saúde, mas suavizou a gafe. "Com agradecimento à Chancelaria da República Popular da China pelos esforços na pronta liberação dos insumos contratados à Oxford/AstraZeneca", escreveu o perfil do Itamaraty.

Novamente diplomático, o embaixador respondeu com cordialidade: "A China está altamente comprometida com a parceria de vacinas com o Brasil a fim de contribuir, dentro do seu alcance, para que o Brasil possa vencer a pandemia o mais cedo possível".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos