Ministério da Saúde notifica Butantan após instituto anunciar venda de CoronaVac para estados

·2 minuto de leitura
A health worker prepares a CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people on the streets in Sao Paulo, Brazil, on March 30, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Na quarta-feira, Ceará, Espírito Santo, Piauí, Pará e Mato Grosso anunciaram que compraram doses da CoronaVac diretamente do Butantan (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
  • Ministério da Saúde notificou Butantan alegando que instituto começou a vender doses para estados antes de concluir contrato

  • Na última quarta-feira, Butantan e SP anunciaram venda de 2,5 milhões de doses da CoronaVac para cinco estados

  • Empasse está nas doses em quarentena, que não foram aprovadas pela Anvisa e ainda não terminaram de ser substituídas

O Ministério da Saúde notificou o Instituto Butantan na última quinta-feira (22), mesmo dia em que o governo de São Paulo anunciou a venda de 2,5 milhões de CoronaVac diretamente para cinco estados brasileiros: Ceará, Espírito Santo, Pará, Piauí e Mato Grosso.

Segundo informações do jornal O Globo, a pasta alega que o Butantan vendeu as doses para os estados antes de terminar o contrato com o governo federal, que previa o repasse de 100 milhões de doses da CoronaVac. O acordo entre as partes prevê uma cláusula de exclusividade até que a entrega de doses seja concluída.

Leia também:

Na última semana, o Instituto Butantan anunciou que terminou as entregas ao PNI. O empasse está nas 12 milhões de doses embargadas pela Anvisa. Enquanto o laboratório conta essas vacinas no número total da entrega, o Ministério da Saúde considera que as doses não foram entregues.

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou que todas as doses, que estão em quarentena, serão substituídas até dia 29 de setembro. Segundo informações do jornal O Globo, até o momento, 4 milhões de doses foram substituídas, restando, portanto, mais 8 milhões para serem trocadas.

O contrato entre Butantan e Ministério da Saúde não foi renovado, mas o governo de São Paulo comprou 30 milhões de doses da CoronaVac diretamente da SinoVac.

Cerimônia de anúncio das vacinas

O estado de São Paulo e o Instituto Butantan vão distribuir 2,5 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 produzida em parceria com a farmacêutica chinesa SinoVac, para cinco estados brasileiros: Ceará, Espírito Santo, Piauí, Pará e Mato Grosso.

A entrega foi feita nesta quarta-feira (22) pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em cerimônia no Instituto Butantan. Estiveram presentes os governadores Camilo Santana (PT-CE), Renato Casagrande (PSB-ES), Wellington Dias (PT-PI) e Helder Barbalho (MDB-PA). O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM-MT) não esteve presente, mas Doria irá até o estado na próxima sexta-feira (24).

"Todos os estados do país utilizaram a vacina do Butantan indistintamente para salvaguardar a vida dos seus cidadãos. Agora, estamos fazendo o início da entrega de novas vacinas para que os governos desses estados que aqui estão representados possam acelerar os seus programas de vacinação", disse Doria.

Os governadores presentes se posicionaram a favor da ciência e agradeceram ao Instituto Butantan e ao governo paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos