Ministério da Saúde ainda não possui doses de vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos

·2 min de leitura
Foto: AP Photo/LM Otero
Foto: AP Photo/LM Otero
  • Anvisa deve liberar vacinação de crianças nesta quinta-feira (16)

  • Ministério da Saúde, no entanto, não reservou doses para serem administradas nos menores de 12 anos

  • Agência ainda analisa pedido da CoronaVac, que pleiteia a aplicação de suas vacinas à faixa etária de 3 a 17 anos

Às vésperas da reunião em que a Agência Nacional de Saúde Sanitária (Anvisa) deve autorizar a aplicação de vacinas Covid-19 da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos, o Ministério da Saúde não possui em seus estoques doses fabricadas pelo laboratório para essa faixa etária. Os imunizantes já contratados pela pasta não podem ser administradas em menores de 12 anos, que devem receber uma dose reduzida a um terço das aplicadas nos adultos.

O contrato firmado com a empresa americana, porém, abre a possibilidade de que sejam incluídas em futuras remessas unidades para serem usadas nas crianças.

Representantes do ministério se reúnem semanalmente profissionais da Pfizer, mas ainda não há previsão de quantitativo ou de data de entrega das doses para crianças. A Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (Cetai) da pasta acompanha o tema e deve voltar a discuti-lo na sexta-feira.

— O produto (vacina para adultos) que nós temos não é específico. A gente vai ter que fazer um planejamento. Mas mesmo essa decisão... a gente já está fazendo estudos, nós temos já determinados materiais .O que nós vamos fazer? A partir do momento em que há essa autorização, nós vamos intensificar essas discussões, chamar todos esses especialistas e talvez até a sociedade — afirmou ao GLOBO a secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo.

Anvisa deve conceder aval a vacinação de crianças de 5 a 11 anos

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Como mostrou O GLOBO, a Anvisa deve aprovar nesta quinta-feira a inclusão de crianças de 5 a 11 anos na bula do imunizante fabricado pela Pfizer, que já tem registro para uso definitivo no país. A agência recebeu um pedido com o mesmo teor, protocolado pela CoronaVac, que pleiteia a aplicação de suas vacinas à faixa etária de 3 a 17 anos.

— Será que crianças precisam de duas doses ou vai ser uma só? Porque alguns países estavam usando em crianças uma dose, depois retrocederam. Tudo isso a gente vai ter que definir. A Anvisa pode autorizar, mas a forma como vai ser essa aplicação a gente ainda vai discutir — continuou a cirurgiã.

"O terceiro contrato assinado com o Governo Brasileiro no dia 29 de novembro de 2021 para o fornecimento de 100 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 para o ano de 2022 também inclui a possibilidade de fornecimento de versões modificadas do imunizante para variantes, que poderão ser eventualmente desenvolvidas caso necessário, e versões para diferentes faixas etárias, conforme solicitação por parte do Ministério da Saúde", diz a nota da Pfizer enviada ao GLOBO.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos