Ministra alemã faz visita surpresa à cidade ucraniana de Kharkiv

A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, viajou a Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, nesta terça-feira (10), onde o seu colega ucraniano voltou a pedir o fornecimento de tanques alemães Leopard, afirmando que, quanto mais demorar essa decisão, "haverá mais vítimas, mais mortos civis".

Esta foi a primeira visita de um integrante do primeiro escalão de um governo ocidental à cidade, a segunda maior da Ucrânia, devastada pela guerra e próxima da fronteira russa.

Baerbock foi convidada por seu colega "e amigo" ucraniano, Dmytro Kuleba, e afirmou que a população ucraniana pode "contar com nossa solidariedade e apoio".

A ministra anunciou um "novo pacote" de ajuda que inclui 20 milhões de euros para a remoção de minas e um fundo para desenvolver o acesso à rede de internet satelital Starlink.

Baerbock também disse que a Alemanha entregará novos geradores para a infraestrutura energética ucraniana, que é alvo de bombardeios sistemáticos da Rússia.

A Ucrânia, no entanto, pede o fornecimento de veículos de combate, e a Alemanha ainda não respondeu se enviará tanques "Leopard 2".

"Quanto mais demorar a decisão [alemã], haverá mais vítimas, mais mortos civis", disse Kuleba.

Durante a visita, a ministra alemã afirmou que Kharkiv "é um símbolo da absoluta loucura da guerra de agressão russa na Ucrânia e do sofrimento interminável que a população enfrenta a cada dia, especialmente aqui, no leste do país".

Diversos líderes ocidentais já visitaram a Ucrânia desde a invasão russa de 24 de fevereiro, entre eles o chefe do governo alemão Olaf Scholz e o presidente da França, Emmanuel Macron.

Mas nenhum deles viajou tão para o leste, onde as tropas russas se apoderaram de vários territórios.

Kharkiv foi alvo de intensos bombardeios no início do conflito, mas as forças ucranianas conseguiram defendê-la. A linha de frente se encontra atualmente a cerca de 130 km da cidade.

"Kharkiv se transformou em um símbolo do sucesso da contraofensiva ucraniana, e isso mostra que a Ucrânia pode vencer com ajuda suficiente de seus aliados", afirmou Kuleba.

Baerbock, por sua vez, declarou que a Ucrânia também poderia contar com o envio das armas que necessita "para libertar seus cidadãos que continuam sofrendo o terror da ocupação russa".

Após meses de adiamentos, a Alemanha anunciou recentemente que enviaria 40 blindados de transporte de infantaria Marder no início deste ano, mas Kiev continua reivindicando entregas dos veículos de combate Leopard.

pw-ilp/smk/pc-an/mb/rpr/mvv