Ministra britânica do Trabalho renuncia

(Arquivo) A ministra Amber Rudd

A ministra britânica do Trabalho e da Previdência, Amber Rudd, anunciou neste sábado sua renúncia, por discordar da estratégia do premier Boris Johnson para o Brexit.

"Não posso permanecer quando bons, leais conservadores moderados são excluídos", declarou a ministra e deputada, referindo-se à expulsão do Partido Conservador de 21 deputados que votaram nesta semana com a oposição sobre o projeto de lei destinado a evitar um Brexit sem acordo.

Amber deixa o governo, do qual era um nome importante, e o Partido Conservador. Em carta ao premier publicada no Twitter, ela classificou a expulsão dos 21 "rebeldes" de "ataque à decência e à democracia".

Amber, que votou a favor da permanência na União Europeia (UE) no referendo de junho de 2016, considera que o "objetivo principal" do governo já não é a obtenção de um acordo de saída da UE.

A renúncia de Amber representa um novo revés para o chefe de governo, que não conta com a maioria no parlamento e cuja estratégia para o Brexit foi bloqueada pelos parlamentares.