Ministra da França critica Lloris por não usar braçadeira "One Love"

Hugo Llorris, capitão da França, foi criticado por Ministra dos Esportes do país ao declarar que não usaria braçadeira One Love (Photo by Ulrik Pedersen/DeFodi Images via Getty Images)
Hugo Llorris, capitão da França, foi criticado por Ministra dos Esportes do país ao declarar que não usaria braçadeira One Love (Photo by Ulrik Pedersen/DeFodi Images via Getty Images)

A braçadeira "One Love" se tornou uma das disputas entre algumas seleções europeias, a Fifa e o governo do Catar na Copa do Mundo. No país, a homossexualidade é proibida. Portanto, há uma enorme pressão para que manifestações a favor da comunidade LGBTQIA+ não sejam feitas. Os capitães de sete seleções da Europa emitiram um comunicado informando que não utilizariam a braçadeira por temerem punições esportivas.

Uma seleção que desde o início do Mundial se posicionou contra o uso da One Love foi a França. Na ocasião, o capitão Hugo Lloris disse que a seleção ia respeitar as determinações do governo catari. Só que nesta quarta-feira (23), após políticos da Bélgica usarem a braçadeira One Love e os jogadores alemães protestarem antes da partida contra o Japão, a Ministra dos Esportes da França criticou a postura da seleção de seu país.

Leia também:

"Acredito que a decisão da FIFA de proibir essa braçadeira One Love não acabou de fazer a tinta correr. Eu gostaria que houvesse um espaço de plena liberdade? A resposta é claramente sim. Restam espaços de liberdade onde nossa equipe francesa pode continuar a expressar seu compromisso com os direitos humanos? A resposta é sim. Os alemães mostram isso. Acho que tudo vai continuar", disse Amélie Oudéa-Castéra, ao canal do Senado francês.

A Ministra relembrou que a Geração 2018, um fundo criado pelos jogadores da França campeões mundiais de 2018 que apoia ações de impacto social, se comprometeu antes da Copa do Catar de respeitar os Direitos Humanos (veja carta divulgada por eles abaixo).

"[os jogadores] Expressaram [seu] compromisso com os direitos humanos, a transição ecológica, por meio de a carta que escreveram e esse gesto importante, esse compromisso que assumiram, de mobilizar o fundo Geração 2018 para apoiar as ONGs responsáveis ​​por essa proteção", enfatizou a Ministra.

Por fim, Amélie disse esperar manifestações da seleção francesa nas próximas semanas de Copa do Mundo. "Agora, ainda temos semanas pela frente em que eles podem ser livres para se expressar, para usar esses espaços de liberdade para transmitir suas mensagens. Eles também têm esses valores. Eles pertencem a um país que os valoriza e é importante que sejam seus representantes", finalizou.