Ministra Damares pede 'cadeia' para Robinho e diz que participação do jogador no caso 'está muito clara'

LANCE!
·1 minuto de leitura


A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou a jornalistas nesta segunda-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, que o jogador Robinho deveria ir para a 'cadeia imediatamente' após a repercussão dos áudios divulgados pelo 'Ge'.

O atacante foi condenado em primeira instância na Itália em caso de violência sexual contra uma mulher, em 2013. O recurso do atacante começará a ser julgado em segunda instância em dezembro.

- Cadeia imediatamente, não tenho outra palavra para falar. Ainda cabe recurso, mas o vazamento dos áudios, gente. Querem mais o quê? Cadeia. Nenhum estuprador pode ser aplaudido. O cara quer voltar para o campo para posar como herói - afirmou a ministra do governo Bolsonaro.

- O clube já reviu, e parabéns ao Santos por ter rescindido. Eu sei que ainda cabe recurso, mas acho que está muito claro. O vazamento dos áudios está muito claro, a forma como isso chegou para nós - concluiu.

Robinho aparece em áudios interceptados debochando de ter feito sexo oral com a vítima. Embora ele e sua defesa admitam que aconteceu o sexo mencionado, os advogados do condenado mantém a posição de que não teria sido sem a vontade da vítima. O caso aconteceu em 2013, quando ele atuava pelo Milan.

Robinho teve seu contrato com o Peixe desligado, na noite de sexta-feira, após a repercussão negativa do caso aqui no Brasil. Entre diversas manifestações contra a chegada do condenado ao Santos, o que seria sua quarta passagem pelo clube, os patrocinadores pressionaram os cartolas contra o acerto. Nas redes sociais, Robinho, de 36 anos, disse que agora focalizará em sua defesa na Justiça.