Ministra de Lula recebeu dinheiro de secretários do marido em eleição

Daniela Carneiro também foi acusada de manter elo com milicianos

A ministra Daniela Carneiro ao lado de Lula (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
A ministra Daniela Carneiro ao lado de Lula (Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
  • Ministra do Turismo contou com apoio financeiro de secretários da prefeitura de Belford Roxo em 2018;

  • Prefeitura era comandada por seu marido, o Waguinho;

  • Daniela Carneiro também é acusada de manter elo político com chefes de milícias no Rio de Janeiro.

A ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil), contou com apoio financeiro de secretários da prefeitura de Belford Roxo em sua primeira eleição para deputada federal, em 2018. A prefeitura é comandada por seu marido, Wagner Carneiro, o Waguinho (União Brasil).

Ao menos quatro secretários contribuíram com R$ 10 mil ou mais, além do ex-vice-prefeito da cidade. Assessores em cargos menores também ajudaram, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo. Veja os principais doadores:

  • Marcio Canella, ex-vice-prefeito de Belford Roxo: R$ 104 mil;

  • Odair Almeida, secretário de Obras: R$ 20 mil;

  • Rogerio Passos, secretário do Tesouro: R$ 17 mil;

  • Braulino Vieira, secretário da Defesa Civil: R$ 10 mil;

  • Ana Maria Titonel, secretária adjunta de Obras: R$ 10 mil.

Nas eleições de 2022, a ajuda de membros da administração de seu marido não foi tão significativa quanto em 2018. Dessa vez, a maior contribuição foi de Waguinho, que repassou R$ 20 mil a Daniela.

Ligação com chefes de milícias

A ministra escolhida por Lula protagoniza o primeiro desgaste no novo governo. Ela é acusada de manter elo político com chefes de milícias no Rio de Janeiro.

Em 2018, Daniela fez campanha ao lado de Juracy Alves Prudêncio, o Jura, miliciano condenado por homicídio.

Em 2022, Fábio Augusto de Oliveira Brasil, conhecido como Fabinho Varandão, também pediu votos para Daniela. Ele é réu por extorsão e porte ilegal de arma de fogo e acusado de chefiar um grupo que ameaçava moradores e explorava serviços clandestinos de internet em bairros de Belford Roxo.

A assessoria de Daniela declarou que ela recebeu apoio em vários municípios na campanha de 2018 e que isso não significa que compactue com qualquer apoiador que tenha cometido ato ilícito.