Ministro da Educação anuncia que 'abre mão' de acesso às questões do Enem

·1 minuto de leitura

BRASÍILA - O ministro da Educação, Milton Ribeiro, garantiu que não terá acesso prévio às questões do Enem, polêmica criada após declarações que concedeu em entrevistas. Em audiência na Comissão de Educação da Câmara, na manhã desta quarta, Ribeiro afirmou que "abre mão" de conhecer antes o conteúdo das provas para evitar acusações de censura prévia e gerar desconfiança na sociedade.

— Se houver desconfiança da sociedade de que o ministro não pode ter acesso a informações sigilosas a respeito da pasta, esse ministro não pode sentar na cadeira mais. E considerando o ambiente que vivemos e a lisura abri mão completamente de conhecer previamente e conhecer as questões. Abri mão para evitar qualquer interpretação que alguém possa dar de censura prévia. De maneira alguma, terei acesso às questões do Enem — disse Milton Ribeiro.

O ministro também falou que o conteúdo do exame será técnico, afastado de questões ideológicas. E que o aluno não irá dar sua visão de mundo na prova, mas demonstrar conhecimento técnico para acessar a universidade.

— Todo certame, toda avaliação tem que ter o propósito de avaliar o que o aluno sabe e não sabe. Avaliar se aprendeu e se tem condições de acessar o ensino superior com o que já adquiriu de conhecimento. Temos uma governança estabelecida pelo Inep para que a prova avalie conhecimentos, evitando que se baseie em visão de mundo de cada um deles. Insisto que não tenha questão ideológica. Não que ela não exista. Todos têm sua ideologia. Prova do Enem não é para avaliar qual visão de mundo o aluno tem do mundo, da economia. Não é isso, não é esse o objetivo— disse o ministro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos