Ministro da Educação diz que suspendeu gratuidade do ENEM como punição

·1 minuto de leitura
BRASILIA, BRAZIL - SEPTEMBER 16: Minister of Education of Brazil, Milton Ribeiro, reacts before the ceremony in which Eduardo Pazuello takes office as Minister of Health amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic at the on September 16, 2020 in Brasilia. Pazuello took over as interim minister on May 16 this year. Brazil has over 4.382,000 confirmed positive cases of Coronavirus and has over 133,119 deaths. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Ministro Milton Ribeiro falou sobre o Enem em audiência no Senado (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Ministro da Educação afirmou que suspendeu isenção na inscrição do Enem como forma de "disciplinar" alunos

  • Milton Ribeiro compareceu em audiência no Senado nesta quinta-feira e criticou ausências no Enem de 2020, em meio à pandemia e ainda sem vacinas

  • STF obrigou Ministério da Educação a retomar inscrições com isenção

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que suspendeu a gratuidade na inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma de “dar disciplina” aos estudantes que não compareceram na prova em 2020.

A prova que aconteceu no primeiro ano da pandemia de covid-19 e ainda sem vacinas e teve recorde de abstenção. Em audiência no Senado, Ribeiro disse que “jogou na lata do lixo” 300 milhões de reais ao organizar a prova.

Leia também

“No outro Enem, havíamos aberto a oportunidade para muitos alunos fazerem a inscrição gratuitamente. Eles fizeram e simplesmente não compareceram na prova. Dei a eles a oportunidade de justificar. Nada, zero. Simplesmente não responderam”, afirmou, referindo-se à inscrição deste ano, na qual os alunos poderiam dar alguma justificativa para a falta.

“Peguei 300 milhões de reais quando comprei prova, contratei logística, impressão. Peguei R$ 300 milhões do MEC e joguei na lata do lixo.”

O ministro da Educação ainda disse que a gratuidade na edição de 2020 gerou a falta de estudantes ao exame. Por isso, a não concessão da gratuidade em 2021 seria uma forma de “disciplinar” os participantes.

“As pessoas têm de ter responsabilidade”, afirmou. “Meu objetivo nunca foi tolher. Estou querendo dar uma disciplina.”

A falta de isenção para alunos que faltaram na edição de 2020 do Enem gerou muitas reclamações. O Supremo Tribunal Federal, então, determinou a reabertura das inscrições para o Enem com isenção de faltantes na edição de 2020. Segundo Milton Ribeiro, nesta nova rodada, 45 mil alunos já se inscreveram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos