Ministro da Infraestrutura diz que Brasil respeita contratos, independentemente de ideologia

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - Em palestra dirigida a investidores nacionais e estrangeiros que acompanham os debates no Brasil Investiment Forum, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que os contratos no país são sempre respeitados, independentemente da ideologia ou de movimentos políticos. Ele citou como exemplo a rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo, leiloada na década de 1990, ainda no governo Fernando Henrique Cardoso.

— Faremos leilões de ativos que foram leiloados pela primeira vez no governo FHC, atravessou os dois mandados do governo Lula, pelo governo Dilma, Temer e o contrato agora encerrou com o presidente Bolsonaro. São ativos que atravessaram vários governos de matizes ideológicas diferentes. O Brasil é um país que respeita contratos — enfatizou o ministro.

Enquanto falava no fórum, que teve mais de 5 mil inscritos no Brasil e no exterior e termina nesta terça-feira, Tarcísio foi informado sobre o crescimento de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2021.

Ele destacou que a taxa, divulgada pelo IBGE, coloca o Brasil num patamar pré-pandemia e supera as expectativas anteriores.

— É uma evidência de que estamos no caminho certo — disse ele.

Segundo o ministro, o Brasil é um país de oportunidades que traz não apenas segurança jurídica, mas também o compromisso com a sustentabilidade, a preocupação com a qualidade dos ativos e remunerações atrativas.

Ressaltou que, desde 2019, 70 leilões foram realizados e disse que, mesmo com a pandemia de Covid-19, houve sucesso nas operações.

Tarcísio afirmou que o segundo semestre será bastante promissor. Além do leilão da rodovia Presidente Dutra, ele acrescentou na leva de privatizações 19 aeroportos, a primeira privatização portuária no Espírito Santo — que será seguida pelos porto de Santos — e a Ferrogrão, ferrovia cotada para ser a principal rota de escoamento do agronegócio, ligando Mato Grosso ao posto de Miritituba, no Pará.

Aos investidores globais que acompanhavam o evento, o ministro disse que o governo Bolsonaro tem trazido a temática da sustentabilidade para todos os projetos. Repetiu que o Brasil tem 84% da Amazônia preservados e que 42% da matriz energética são de fontes renováveis.

Destacou que os projetos têm como princípios a preservação de mata nativa, o combate a processos erosivos, o respeito à vida selvagem, o cuidado com comunidades vulneráveis, como indígenas e quilombolas e a limitação do transporte de combustíveis fósseis em ferrovias.

Também convidado a falar durante o evento, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, reforçou o argumento de que o Brasil não se deixou abater pela pandemia. Disse que, apesar da crise na área de saúde, foram criados programas que preservaram empregos.

— Mesmo com a pandemia geramos empregos. O ano de 2021 trouxe boas novas: um crescimento acima do esperado e a criação de 1 milhão de postos de trabalho nos quatro primeiros meses do ano afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos