Ministro da Justiça diz que PF encontrou 'remanescentes humanos' em local onde indigenista e jornalista desapareceram na Amazônia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ministro da Justiça, Anderson Torres, informou nesta quarta-feira que a Polícia Federal encontrou "remanescentes humanos" em local onde o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Philips desapareceram na Amazônia. O anúncio foi feito pelo ministro em uma rede social.

"Acabo de ser informado pela @policiafederal que “remanescentes humanos foram encontrados no local, onde estavam sendo feitas as escavações”. Eles serão submetidos à perícia. Ainda hoje, os responsáveis pelas investigações farão uma entrevista coletiva em Manaus", escreveu Torres.

Mais cedo nesta quarta-feira, os dois suspeitos presos pelo desaparecimento do indigenista brasileiro e do jornalista inglês confessaram o assassinato das vítimas. Oseney da Costa Oliveira, o Dos Santos, foi o primeiro a admitir o crime. Depois, seu irmão, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, também assumiu participação nas mortes. A polícia levou um investigado para a área de buscas pelas vítimas, que não são vistas desde o dia 5 de junho.

No último domingo, a PF confirmou que foram encontrados uma mochila e documentos pertencentes à dupla. Dois dias antes, policiais haviam encontrado "material orgânico aparentemente humano" na região.

O desaparecimento da dupla foi alertado pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) na segunda-feira. O Vale do Javari é a região com a maior concentração de povos indígenas isolados do mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos