Ministro da Saúde anuncia distribuição 28,2 milhões de testes em janeiro em meio à escassez do item

·1 min de leitura

BRASÍLIA— Em meio à escassez de testes diagnósticos para Covid-19 no país, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou neste sábado que a pasta vai distribuir, em janeiro, 28,2 milhões de testes rápidos de antígeno para detecção da doença. Queiroga afirmou que nas próximas duas semanas cerca de 13 milhões serão enviados a estados e municípios.

Com o aumento no número de casos de Covid-19 no país, brasileiros têm encontrado dificuldade para realizar testes para detecção da doença. Segundo dados do Consórcio de Veículos de Imprensa, na sexta-feira foi registrado aumento de 639% na média de novos casos no país.

"É importante que os Estados e municípios se engajem nessa estratégia de testagem, adquirindo mais testes, aplicando-os corretamente e enviando tempestivamente os resultados ao Ministério da Saúde", escreveu Queiroga em sua página no Twitter.

Desde o início da pandemia, gestores estaduais e especialistas chamam atenção para necessidade de intesificar a testagem no país. Somente um ano e meio após o início da pandemia, em agosto de 2021, o governo lançou um programa-piloto de testagem em massa em Brasília.

A meta da pasta era aplicar mensalmente até 26 milhões de testes rápidos da Covid-19. No Twitter, neste sábado, Queiroga afirmou, no entanto, que desde setembro a pasta enviou 31,6 mi de testes rápidos para os estados e municípios.

Além da escassez de testes no país, o apagão de dados que atingiu o Ministério da Saúde prejudica a obtenção de diagnósticos. Como O GLOBO mostrou neste sábado, a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) estima que há mais de 1 milhão de exames de Covid-19 represados desde 10 de dezembro, quando os sistemas do Ministério da Saúde foram invadidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos