Ministro da Saúde tem resultado negativo para Covid, mas segue monitorado em casa, diz pasta

NATÁLIA CANCIAN
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, recebeu resultado negativo em novo teste de Covid-19, segundo informou nesta quarta (4) o Ministério da Saúde. De acordo com a pasta, exame realizado nesta terça (3) "deu negativo para a imunoglobulina IgM - o que demonstra que o vírus não está mais ativo no organismo - e positivo para a imunoglobulina IgG - que detecta anticorpos de proteção contra a doença". Pazuello, porém, ainda "segue sendo monitorado pela equipe médica que o acompanha desde o início do tratamento da doença", diagnosticada no dia 21 de outubro. Em nota, o ministério não informou detalhes do que levou à decisão de manter o monitoramento. Disse apenas que o ministro "está bem" e é acompanhado em sua casa, em Brasília. A previsão é que ele retorne à pasta na próxima semana. Pazuello recebeu alta hospitalar do Hospital das Forças Armadas na terça-feira (3), após quase quatro dias de internação na unidade e em um hospital particular. Na sexta (30), a pasta informou que o ministro foi diagnosticado com desidratação após fazer exames previstos no tratamento da Covid, o que levou à internação em um hospital da rede particular para tomar soro. Até então, a informação era de que ele seria liberado em breve. A saída, porém, só ocorreu no domingo, quando o ministro deu entrada no Hospital das Forças Armadas. Em nota divulgada na data, a pasta informou que o ministro "passaria a noite no hospital" para ser acompanhado pela equipe médica. A alta ocorreu apenas na terça (3). Pazuello foi diagnosticado com Covid-19 no dia 21 de outubro, após relatar a auxiliares que sentira febre e mal-estar. O quadro o levou a cancelar agendas da pasta. Inicialmente, o ministro ficou em isolamento no hotel de trânsito de oficiais militares, em Brasília. Um dia após o diagnóstico, porém, Pazuello recebeu a visita do presidente Jair Bolsonaro e participou de uma transmissão ao vivo com o presidente, em que ambos estavam sem máscara. Questionado pelo presidente sobre quais medicamentos estava tomando, o ministro respondeu que tomava hidroxicloroquina associada a outros remédios e disse ter sentido melhora. Bolsonaro então aproveitou a ocasião para fazer uma defesa da hidroxicloroquina. O medicamento, porém, não tem comprovação de eficácia contra a Covid-19. O presidente também usou o momento para comentar a crise que levou o ministério a recuar de um anúncio da compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, em desenvolvimento pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac. "Um manda, e o outro obedece", afirmou Pazuello em meio a polêmica. Até o momento, ao menos 12 ministros do governo já foram diagnosticados com Covid-19.