ASSISTA: Ministro é recebido em SP aos gritos de 'genocida' por alunos de medicina da USP

Anita Efraim
·3 minuto de leitura

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve no Hospital das Clínicas nesta quinta-feira (25). Médico cardiologista, ele foi recebido pelos alunos da Faculdade de Medicina da USP aos gritos de "genocida". 

Na última quarta-feira (24), o Brasil atingiu a marca de 300 mil mortes pela covid-19. O fato foi ressaltados pelos estudantes de medicina, que estenderam uma faixa com os dizerem "300 mil é genocídio". 

Alunos da Faculdade de Medicina da USP estenderam uma faixa com os dizeres
Alunos da Faculdade de Medicina da USP estenderam uma faixa com os dizeres "300 mil é genocídio", em referência ao número de mortes pela covid-19 (Foto: Natalia Pennachioni)
  • Novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou a Faculdade de Medicina da USP

  • Alunos receberam o ministro aos grupos de genocida

  • Na última quarta-feira (24), Brasil atingiu a marca de 300 mil mortes pela covid-19

Os alunos da Faculdade de Medicina da USP, que fica no Hospital das Clínicas, ainda pediram a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Nos cartazes, eles pediam "vida, pão, vacina e educação". 

Leia também:

"O ministro da Saúde veio hoje se reunir com a comunidade científica, depois de 300 mil vítimas. Estamos aqui para lembrar que essas mortes são culpa do governo Bolsonaro. Queremos lembrar que o ministro tem um legado com essas mortes, que também é dele", disseram os alunos durante a manifestação. "Jamais esqueceremos o genocídio implementado por Bolsonaro." 

Em cartazes, alunos pediram
Em cartazes, alunos pediram "vida, pão, vacina e educação", além da saída do presidente Jair Bolsonaro (Foto: Natalia Pennachioni)

Visita de Queiroga ao Incor 

Na manhã de quinta-feira, Queiroga foi ao Instituto do Coração, onde voltou a exaltar a ciência e ressaltou a importância do SUS, o Sistema Único de Saúde. 

"É necessário a união de todos com base na ciência, com base no humanismo para que consigamos superar essas dificuldades. Estou aqui com Milton Ribeiro, da educação. O compromisso do estado brasileiro com saúde e educação é constitucional e através da educação e da saúde que vamos fortalecer o nossos sus para levar políticas públicas que tenham concretude para ajudar a nossa sociedade", disse o ministro. 

Na última quarta-feira (24), no primeiro discurso oficial após assumir a pasta, Queiroga afirmou que o Brasil precisa acelerar o ritmo da vacinação no país e disse que ninguém gostaria de viver um lockdown

Quem é Marcelo Queiroga

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Marcelo Queiroga chega ao cargo com o desafio de chefiar a pasta no pior momento da pandemia no país e com uma forte pressão pela vacinação em massa da população.

Bolsonaro também prometeu, sem explicar detalhes, que o novo ministro será responsável por um amplo programa de vacinações. "No tocante a vacinas, um programa bastante ousado, mais de 400 milhões de doses contratadas até o final do ano. Este mês vamos receber mais de 4 milhões de vacinas, e essa política de vacinação em massa continuará cada vez mais presente em nosso governo."

Marcelo Queiroga tem bom trânsito no governo Bolsonaro

Marcelo Queiroga já tinha demonstrado ter um bom trânsito no governo mesmo antes de ser anunciado como ministro. Ele agrada não só Bolsonaro como também a militância do presidente nas redes sociais, mesmo defendendo o isolamento social.

Qual o perfil de Marcelo Queiroga para ser ministro?

Com perfil técnico, Queiroga fez parte da equipe de transição do governo na área da saúde e foi indicado por Bolsonaro para assumir um cargo na direção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Onde Marcelo Queiroga se formou médico?

Formado em medicina pela Universidade Federal da Paraíba, Queiroga tem mais de 30 anos de experiência como médico. Hoje, ele cursa doutorado em Bioética na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, em Portugal. Ele também é diretor do Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (Cardiocenter) do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, em João Pessoa, na Paraíba.