Ministro francês diz que não pagará pela marca de verificação azul do Twitter

PARIS (Reuters) - O ministro e porta-voz do governo francês, Olivier Veran, disse neste domingo que não pagaria a taxa mensal de 7,99 dólares do Twitter pela verificação da conta e que estava preocupado com as ambições do novo proprietário da plataforma de mídia social, Elon Musk.

O Twitter atualizou seu aplicativo na App Store da Apple no sábado para começar a cobrar pelas marcas de verificação azuis, a primeira grande revisão desde que Musk assumiu um acordo de 44 bilhões de dólares em 28 de outubro.

Ele disse que aqueles que "se inscreverem agora" podem receber a marca de verificação ao lado de seus nomes de usuário, "assim como as celebridades, empresas e políticos que você já segue".

Um desses políticos disse que não pagaria.

"Convido-os a cancelar minha conta sem demora se considerarem que isso é algo pelo qual se deve começar a pagar", disse Veran à televisão France 3.

Antes de Musk assumir, uma marca de verificação azul ao lado de um nome de usuário significava que o Twitter havia confirmado que a conta pertencia à pessoa ou empresa que a reivindicava.

Questionado se continuaria a usar o Twitter após a aquisição de Musk, Veran disse que não tinha certeza.

Ele disse que era uma grande ferramenta de comunicação, com mais de 10 milhões de usuários franceses, mas acrescentou: "O fato de essa grande ferramenta global pertencer a um homem e ele exibir ambições que me preocupam um pouco - pelo menos algumas delas - significa que permanecerei vigilante e assumirei minhas próprias responsabilidades, se necessário".

Como quase todos os ministros do governo francês, Veran tem uma conta verificada no Twitter com uma marca azul ao lado de seu nome. O ex-ministro da Saúde tem quase 425.000 seguidores em sua conta @olivierveran.

A conta @EmmanuelMacron do presidente francês Emmanuel Macron, também verificada, tem 8,8 milhões de seguidores. Sua conta oficial do palácio do Eliseu, @Elysee, tem 2,8 milhões de seguidores.

A maioria dos ministérios, escritórios e agências governamentais, departamentos e prefeituras franceses também têm contas verificadas no Twitter, assim como muitas cidades, instituições culturais e até linhas de metrô de Paris.

(Por Geert De Clercq)

((Tradução Redação Rio de Janeiro, 5521 2223-7104)) REUTERS MN