Ministro Luiz Marinho diz que governo vai acabar com saque-aniversário do FGTS

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, assumiu o cargo nesta terça-feira (dia 3) com a promessa de repetir os feitos de sua primeira gestão num governo Lula: gerar empregos, dar aumento real ao salário mínimo e usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço como instrumento de investimento. Em entrevista exclusiva ao GLOBO, ele adiantou que o governo pretende acabar com o saque-aniversário do FGTS, criado na gestão Bolsonaro.

Esta é uma opção de um recurso extra anual para 28,6 milhões de trabalhadores que aderiram à modalidade, segundo dados de dezembro de 2022, da Caixa Econômica Federal. Este contingente saca, em média, R$ 12 bilhões por ano — desde que foi criado, o saque-aniversário retirou quase R$ 34 bilhões do FGTS.

— Quando se estimula, como esse irresponsável e criminoso desse governo que terminou, sacar em todos os aniversários, quando o cidadão precisar dele (do FGTS), não tem — afirmou.

Marinho disse ainda que todas as mudanças que vai propor serão negociadas, inclusive com os empregadores.

— Não há razão para temor — disse.

Ele defendeu, por exemplo, um cardápio de proteção social para trabalhadores de aplicativos, que escolherão o que querem, reconhecendo que muitos não querem estar regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).