Ministro russo morre durante treinamento na zona ártica

·2 minuto de leitura
Evgueny Zinichev em helicóptero durante um voo de supervisão de danos de um incêndio florestal na região de Cheliabinsk (AFP/Alexey Nikolsky)

O ministro russo de Situações de Emergência, Evgueni Zinitshev, que já esteve a cargo da proteção do presidente Vladimir Putin no passado, morreu tentando salvar uma pessoa durante um treinamento, informou seu ministério nesta quarta-feira (8).

O ministro, de 55 anos, "morreu tragicamente em ato de serviço em Norilsk, em um exercício de proteção na zona ártica, quando salvava a vida de uma pessoa", disse o ministério à agência de notícias estatal Tass.

Zinitshev estava na beira de um penhasco com Alexander Melnik, roteirista e diretor russo de 63 anos, que escorregou, caiu na água e também morreu no acidente.

"Zinitshev se lançou imediatamente em seu resgate, mas caiu sobre algumas rochas", disse o vice-ministro de Situações de Emergência, Andrei Gurovich, ao canal Rossia 24.

"Não hesitou por um momento em agir, não como ministro, mas como homem comum. Como um salva-vidas, realizou um ato heroico", acrescentou.

Segundo fontes internas citadas pelos jornais RBC e Taiga.info, o acidente aconteceu na reserva natural de Putorana, a cerca de cem quilômetros de Norilsk, famosa por suas cascatas e declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

"O presidente Putin expressou suas sinceras condolências" aos familiares de Evgueni Zinitshev após sua "trágica morte", anunciou o Kremlin em um comunicado, destacando que o dirigente russo e Zinitshev eram "vinculados por muitos anos de trabalho conjunto".

O primeiro-ministro Mikhail Mishustin, o chefe da diplomacia Serguei Lavrov, o líder checheno Ramzan Kadyrov, o presidente sérvio Aleksandar Vucic e a embaixadora britânica na Rússia, Deborah Bronnert, também expressaram suas condolências.

- Ex-membro dos serviços de Inteligência russos -

Ministro desde 2018, Zinitshev trabalhou até então em diferentes serviços de segurança russos, especialmente na proteção de Putin.

Também fez parte da KGB soviética nos últimos anos da URSS e foi durante anos o número dois do Departamento de Combate ao Terrorismo dos serviços de Inteligência russos (FSB).

De outubro de 2016 até sua designação como chefe do ministério de Situações de Emergência em maio de 2018, Evgueni Zinitshev ocupou o cargo de diretor adjunto do FSB.

"Por muitos anos, fez parte do círculo mais próximo do chefe [Vladimir Putin]. Acompanhava o presidente todos os dias", destacou em sua conta do Telegram Margarita Simonian, a editora-chefe do canal de televisão pró-Kremlin RT.

O ministério de Situações de Emergência, que conta com cerca de 120.000 membros, se encarrega de responder às catástrofes naturais e aos acidentes ambientais, como as inundações e incêndios históricos que assolaram a Rússia neste verão boreal.

Zinitshev estava em Norilsk para supervisionar manobras em grande escala que envolviam 6.000 pessoas no Ártico, disse o ministério na terça-feira à noite, antes do acidente.

"Supervisionou pessoalmente o treinamento para a resposta de emergência", explicou o comunicado, acompanhado de fotos de Zinitshev reunindo-se com as equipes no local e inspecionando a obra de um quartel de bombeiros.

apo/alf/sba/bl/zm/mab/pc/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos