Ministro do STF afasta presidente do Ibama do cargo em investigação de exportação ilegal de madeira

·1 minuto de leitura
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 04-11-2019: O presidente do Ibama, Eduardo Bim. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 04-11-2019: O presidente do Ibama, Eduardo Bim. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Ibama, Eduardo Bim, é um dos 10 agentes públicos afastados de seus cargos por ordem do Supremo Tribunal Federal na operação Akuanduba.

Bim é alvo da apuração que resultou em busca e apreensão em endereço do ministro Ricardo Salles e do ministério do Meio Ambiente.

A PF investiga a edição de um despacho pelo Ibama, em 2020, que teria permitido a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações.

O despacho teria sido elaborado a pedido de empresas com cargas apreendidas no exterior e resultou na regularização, segundo a PF, de cerca de 8 mil cargas de madeira ilegal.