Ministro do TCU manda escritório fornecer documentos sobre rompimento de contrato com Sergio Moro

·1 min de leitura

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas determinou que o escritório Alvarez & Marsal forneça toda a documentação referente ao rompimento do contrato com o ex-ministro Sergio Moro, incluindo detalhes dos valores pagos a ele.

A ordem foi proferida dentro de um processo do tribunal que apura a atuação de Moro no escritório. Isto porque o Alvarez & Marsal atuou na recuperação judicial da Odebrecht, empresa que foi alvo da Operação Lava-Jato — investigação na qual o ex-juiz Sergio Moro trabalhou.

No despacho, Bruno Dantas escreve que determina a realização de diligência contra a empresa "com vistas a obter toda documentação relativa ao rompimento do vínculo de prestação de serviços com o ex-juiz Sergio Moro, incluindo datas das transações e valores envolvidos".

Moro encerrou seu contrato com a Alvarez & Marsal no último dia 31 de outubro, em meio às articulações para filiação ao Podemos para costurar sua pré-candidatura à Presidência da República.

Em uma rede social, o ex-ministro rebateu a ação do TCU: "Trabalhei 23 anos na carreira pública. Lutei contra a corrupção neste país como ninguém jamais havia feito. Deixei o serviço público e trabalhei honestamente no setor privado para sustentar minha família. Nunca paguei ou recebi propina, fiz rachadinha ou comprei mansões. Não enriqueci no setor público e nem no privado. Não atuei em casos de conflito de interesses. Repudio as insinuações levianas do procurador do TCU a meu respeito e lamento que o órgão seja utilizado dessa forma", escreveu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos