Ministros do STF entendem que Moraes será “implacável” com empresários golpistas

Alexandre de Moraes assumiu como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)
Alexandre de Moraes assumiu como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) acreditam que Alexandre de Moraes, novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será “implacável” com os empresários bolsonaristas que afirmaram ser a favor de um golpe militar, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vença as eleições. As informações são da jornalista Andreia Sadi, do portal g1.

O caso foi revelado pelo jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles. Empresários como Luciano Hang, dono da Havan, Afrânio Barreira Filho, do Grupo Coco Bambu, Ivan Wrobel, da construtora W3 Engenharia, e Aurélio Raymundo, o Morongo, fono da marca Mormaii, se mostraram favoráveis a uma investida golpista. As conversas aconteciam em um grupo no Whatsapp, chamado “Empresários e Política”.

Na última quinta-feira (18), advogados e entidades jurídicas entraram com uma notícia-crime no TSE contra os quatro.

Segundo o g1, a expectativa do STF é que Moraes tome uma decisão sobre o assunto nos próximos dias. A tendência, para ministros da Corte, o presidente do TSE vai impedir ações dos empresários citados antes das eleições.

Alexandre de Moraes não prendeu empresários que financiavam manifestações antidemocráticas em 2019. Agora, dificilmente deixará que ações golpistas passem impunemente.

Ministros do Supremo acreditam que Moraes puna empresários que estejam beneficiando grupos radicais. Segundo Andréia Sadi, no Planalto também é esperada uma medida forte contra os empresários envolvidos.

Os empresários que estavam no grupo afirmam que atuação é em âmbito privado, mas Alexandre de Moraes tem provas de que as ações têm como objetivo a sustentação política de Bolsonaro.