Missa com o papa Francisco é interrompida por protestos no Canadá

Manifestantes seguram faixa de protesto enquanto papa Francisco celebra missa na catedral de Sainte-Anne-de-Beaupre, em Quebec, no Canadá

SAINTE-ANNE-DE-BEAUPRE, Quebec, Canadá (Reuters) - Participantes de uma missa com o papa Francisco no Canadá nesta quinta-feira desenrolaram uma faixa pedindo que o pontífice formalmente revogue decretos do Século 15 nos quais o papado justificava a tomada de terras indígenas.

O grande cartaz em protesto contra a doutrina da descoberta foi aberto próximo à fileira da frente, em frente à congregação, enquanto o papa iniciava a missa em uma catedral nos arredores da Cidade de Quebec. A maioria das pessoas na Igreja era indígena.

Duas mulheres levantaram a faixa, um lençol branco com letras em preto e vermelho, e depois a baixaram por conta própria.

Não ficou claro se o papa, que estava atrás da faixa, conseguiu ver o que ela dizia.

A doutrina da descoberta foi consagrada em decretos papais, ou éditos, do século XV. Os povos indígenas do Canadá têm pedido sua revogação há anos. Em 2015, a Comissão de Verdade e Reconciliação do Canadá, que passou seis anos investigando as escolas residenciais do país, listou o repúdio à doutrina como uma das 94 chamadas à ação.

Francisco está em uma turnê de uma semana pelo Canadá para pedir desculpas pelo papel da Igreja no abusivo sistema de colégios internos, que retirou crianças indígenas de suas famílias e as forçou em um programa de assimilação cultural.

Um porta-voz dos organizadores da visita papal disse que os bispos canadenses estão pedindo que o papa aborde a doutrina da descoberta.

(Reportagem de Philip Pullella e Anna Mehler Paperny)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos