Missa de sétimo dia de Bruno Covas é celebrada na Catedral da Sé

·2 minuto de leitura

Foi realizada no início da tarde de hoje (22) a missa de sétimo dia da morte do ex-prefeito de São Paulo Bruno Covas. A cerimônia foi conduzida na Catedral da Sé, no centro da cidade, pelo arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer.

O arcebispo, em seu sermão, lembrou a história bíblica de Jó, que passou por muitas provações que testaram sua fé. “Jó é exemplo, na Bíblia, daquelas interrogações que nós nos colocamos em toda história, aquelas perguntas mais profundas: que sentido tem a minha vida, o sofrimento, a minha morte?”, disse Scherer.

O arcebispo lamentou a morte prematura de Bruno Covas, lembrando que ele deixou um legado importante em sua vida pública. “Jovem ainda ele realizou muitas coisas boas com grande idealismo e tinha muitos ideais pela frente. Porém, a sua vida foi interrompida. Mas o que ele realizou até aqui foi considerável”, disse.

Homenagens

Ao falar em nome da família de Covas, o tio de Bruno e ex-vereador Mário Covas Neto lembrou que a trajetória política do ex-prefeito começou ainda muito cedo, influenciada pela vivência com o avô, o ex-governador Mário Covas. Covas Neto disse ainda que Bruno aumentou o legado político da família e a responsabilidade dos que carregam o sobrenome daqui para frente.

Ele agradeceu também o carinho recebido pela família nos últimos dias. “A solidariedade do povo é imensa”.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, defendeu o exemplo deixado por Covas que, segundo ele, continuou a trabalhar mesmo doente “sem reclamar”. “Bruno nos trouxe um exemplo maravilhoso demonstrando que é importante sempre ter a fé, a esperança, acreditando até o último momento na vida”, disse.

Segundo o prefeito, Covas tinha um olhar voltado especialmente para os mais pobres. “O Bruno teve sempre essa visão de cuidar das pessoas, dos mais vulneráveis, dos mais necessitados, de ter uma atenção especial para as pessoas que mais necessitavam do Poder Público”.

O governador de São Paulo, João Doria, e o ex-governador Geraldo Alckmin participaram da missa.

Bruno Covas morreu em 16 de maio, vítima de um câncer, doença que enfrentava desde outubro de 2019.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos