Missionário americano é assassinado por povo isolado na Índia

Foto: Christian Caron/Survival International/Creative Commons

Um missionário norte-americano morreu após ter sido alvejado por flechadas em uma ilha do arquipélago indiano de Andaman e Nicobar. Segundo fontes da polícia local, os autores do assassinado pertencem a uma tribo isolada na região.

John Chau, 27, foi abatido ao chegar na ilha Sentinela do Norte, uma localidade habitada por caçadores coletores que vivem de forma autônoma. É proibido para turistas visitarem a região.

Segundo o diretor geral da polícia das ilhas, Dependra Pathak, o  norte-americano foi à Índia com um visto de turista, mas chegou às ilhas Andaman e Nicobar em outubro com o propósito de evangelizar os nativos.

Brasil não sabe o que é ditadura ainda, diz Bolsonaro ao comentar ligação de líder húngaro
Futura primeira-dama revela tatuagem para Bolsonaro
Mulher mata namorado e serve corpo a dezenas de pessoas por “vingança”

“Nós nos recusamos a chamá-lo de turista. Sim, ele veio com um visto de turista, mas veio com um propósito específico para pregar em uma ilha proibida”, disse Pathak à rede americana CNN.

Chau não informou a nenhuma autoridade local o seu objetivo de tentar converter os habitantes da ilha e pagou pescadores locais para que o levassem a Sentinela do Norte, onde vive a tribo frequentemente descrita como a mais isolada do planeta. Assim que pisou no local foi recebido por uma chuva de flechas.  A polícia indiana abriu uma investigação por homicídio e prendeu pescadores envolvidos na ocorrência.