Mito ou verdade: o corpo precisa de mais comida no frio?

É só a temperatura cair para bater aquela vontade de comer algo quentinho e gostoso — normalmente mais calórico e gorduroso. Isso não é coisa de gente gulosa: é normal sentir mais fome no frio. E a ciência explica esse fenômeno.

15 min e 9 seg por dia: Esse é o tempo necessário para reduzir a ansiedade e o mau humor, diz novo estudo

Bactérias boas: Estudo indica que cerveja pode fazer bem à saúde; saiba quantos copos têm efeito

Covid-19: Ministério da Saúde deve liberar quarta dose para pessoas a partir de 40 anos na próxima semana

Para funcionar bem nosso corpo deve estar em uma temperatura de aproximadamente 36,5°C. Nos dias mais frios, o organismo precisa gastar mais energia para se manter aquecido. Como a nossa fonte energética é a alimentação, o cérebro manda o alerta para haver uma maior ingesta alimentar. Como resultado, a fome aumenta.

— É correto dizer que o aumento da fome com as quedas de temperatura é um mecanismo adaptativo fisiológico, para promover fonte energética para produção de calor — afirma o endocrinologista Antônio Carlos.

Mas sentir mais fome não é sinal de que devemos, necessariamente, comer mais.

— A produção de calor ocorrerá, mesmo que não haja a ingestão alimentar, mas este mecanismo de fome será acionado e mantido. Se não houver fonte de alimento o organismo gastará o que tiver de reserva — explica o médico.

Durante o inverno, que vai de 21 de junho a 22 de setembro, os dias são menores e há menos incidência solar. Esses fatores influenciam diretamente na produção de melatonina — conhecida por ser o hormônio do sono. Quanto menos luz, mais melatonina o nosso corpo produz. Isso faz com que o nosso corpo entre em um estágio de repouso, nos deixando mais sonolentos e com menos energia. E, quanto menos energia temos, mais o organismo entende que é preciso conquistá-la, aumentando a fome.

Entrevista: 'Os transtornos mentais ocorrem em diferentes graus', diz psiquiatra

Por que você tem que cantar mais: Como o hábito melhora a função cerebral

O que comer nos dias frios

Com o aumento da fome, é preciso ter cuidado para não ingerir alimentos demais e acabar ganhando uns quilinhos durante os períodos de frio — o que não é gasto pelo corpo é estocado em forma de gordura. Por isso, é interessante incluir na dieta alguns pratos que vão ajudar a se manter aquecido ou a saciar melhor a "fome extra" gerada pelas temperaturas mais baixas.

Alimentos quentes - Chocolate quente, café, mingau e salada de frutas cozidas são algumas opções de comidas quentinhas que já podem entrar (ou serem mantidas) no seu cardápio de café da manhã. Comidas e bebidas quentes ajudam o corpo a manter a temperatura ideal e reduzem as energias gastas para se autoaquecer.

Sopas e caldos - Outra opção de comida quente para ingerir no almoço ou no jantar. Comer sopa pode ser uma ótima estratégia para driblar a "fome extra" que surge com o frio.

Ingredientes termogênicos - Pimenta vermelha, gengibre, canela, chá verde, óleo de coco e produtos derivados de chocolate (quanto maior concentração de cacau, melhor) são algumas opções de alimentos termogênicos. Eles aumentam a temperatura do corpo e podem ser aliados na luta contra o frio.

Fibras - Uma ótima estratégia para quem quer se alimentar sem excessos no frio é investir em alimentos com alto teor de fibras. Eles geram uma sensação de saciedade mais prolongada. Aveia, frutas com casca e arroz integral são exemplos de alimentos ricos em fibras que podem ser incluídos na dieta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos