Modelo brasileira com vitiligo inspira quebra de padrões: 'Eu não preciso me camuflar'

·1 minuto de leitura

A técnica de radiologia Stephanie Yashinmura, de 28 anos, é destaque nesta quinta-feira no site do 'Daily Mail'.

O site conta a história da brasileira, que está fazendo sucesso como modelo. Sephanie, que tem vitiligo, acaba de realizar uma campanha de beleza para um salão em Campos dos Goytacazes (RJ). Nas redes sociais, ela se tornou referência e fortalece outras jovens com a doença.

Stephanie descobriu uma mancha branca acima do olho quando tinha 14 anos. Em meses, a mancha se espalhou pelo rosto e pelo corpo. Ela recebeu, então, o diagnóstico de vitiligo.

Na adolescência, sofreu para se aceitar: usava blusa de manga comprida e roupas fechadas para não chamar a atenção. Aos 20 anos, 80% de sua pele havia perdido o pigmento. No ano passado, Stephanie foi abordada por uma maquiadora, que a convidou para uma sessão de fotos.

"Não, eu não preciso me camuflar", Stephanie diz em um vídeo, publicado em seu Instagram. Em outra publicação, ela questiona: "Quantas vezes coisas boas aconteceram na sua vida em consequência de algo que deu errado?". Numa terceira, fez a seguinte legenda: "Escolhi uma foto para mostrar o quanto me sinto bonita e sexy justamente por ter vitiligo".

Depois que começou a publicar fotos no Instagram, passou a receber inúmeras mensagens. "Você é uma linda mulher, também tenho vitiligo", escreveu uma seguidora. "Você é inspiração para muitas de nós", comentou outra sobre a modelo, que virou referência de quebra de padrões. "Você tem que ir contra a pressão estética que te diz o tempo todo o que é bonito e o que é feio", escreveu num post. Ela foi e é referência de beleza, autoaceitação e autoestima.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos