Modelo brasileiro é esfaqueado na Turquia e perde parte do intestino: 'Foi um grande baque'

Aos 27 anos, Jonas Piazon vivia a realização de um sonho. Morando na Turquia e há quatro anos na Europa, desfrutava do auge, até então, de sua carreira como modelo. Mas tudo virou um pesadelo para o rapaz, oriundo de Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Jonas foi esfaqueado durante uma confusão e acabou perdendo parte do intestino. O modelo precisou voltar para o Brasil para o tratamento e, atualmente, pretende retomar a carreira nas passarelas e nos catálogos.

O caso aconteceu no fim do ano passado. De acordo com o modelo, ele estava saindo de uma casa noturna em Istambul, capital turca, quando se deparou com um amigo, também modelo, sendo atacado por dois homens. Jonas tentou intervir, mas acabou golpeado na ação, tendo o intestino perfurado.

Ele conta que, num primeiro atendimento, foi informado de que o corte não seria tão profundo. Fizeram pontos e ele recebeu alta posteriormente. Precisou, porém, retornar à unidade médica após complicações na região afetada e permaneceu internado. Diz que "ficou três dias sem se alimentar e esteve entre a vida e a morte."

Ao deixar o hospital pela segunda vez, tentou retomar os trabalhos, escondendo a cicatriz. Não obteve, no entanto, sucesso. Depois de alguns dias, resolveu retornar ao Brasil. O caso chegou a ser registrado pela polícia turca e Jonas prestou depoimento na condição de vítima, esclareceu a assessoria do rapaz. Até a volta dele ao Brasil, porém, o caso continuava sob investigação e nenhuma pessoa havia sido presa.

"Após 4 anos trabalhando de forma estável, eu pensava que aquela seria minha vida por muitos anos. Estava criando raizes em Istambul, já tinha meu apartamento alugado e boas agências em vários países. Quando tudo aconteceu foi um grande baque. Tive muitas incertezas, depressão, questionamentos, mas após superar isso entendi que existe um propósito maior em tudo isso", afirma Jonas.

Ele voltou para a casa da família e com as economias acumuladas durante o trabalho fora do país custeou o próprio tratamento num hospital privado no Rio. Precisou passar por cirurgia para retirada de parte do intestino. Foi necessário o uso da bolsa de colostomia por alguns meses, que já foi retirada. Jonas, aliás, recebeu até alta para fazer exercícios físicos. A cicatriz que agora exibe na região do abdômen ele vê como seu diferencial. Está ansioso para retomar a carreira:

"Estou organizando para viajar em breve, retomando contratos com minhas agências e a expectativa é de retornar ao exterior agora neste segundo semestre. Agradeço a Deus pela oportunidade de passar por tudo isso e sair vivo para contar para outras pessoas sobre superação e minha história. Meus planos foram atrasados, mas não cancelados!"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos